Menu Filtro

Acidentes com abelhas, como evitar?

Encontros com abelhas não são tão comuns na corrida de montanha, mas podem ocorrer e ter consequências mais sérias. Então qual a melhor maneira de evitar acidentes e complicações?

Há diversas espécies de abelhas no Brasil e muitas delas são africanizadas, resultado do cruzamento de espécies européias já existentes no país com abelhas trazidas da África, que são bastante agressivas. O ideal é adotar um comportamento que não irrite as abelhas, minimizando a chance de ser picado e atacado:

– evite perfumes e desodorantes muito aromáticos
– prefira roupas de tons claros a tons escuros e muito coloridas
– evite fazer muito barulho próximo a colmeias
– ao se encontrar próximo a abelhas ou a uma colmeia afaste-se com calma e evite movimentos
rápidos

Em caso de acidente e/ou ataque pela colmeia:

– corra para longe da colmeia, as abelhas podem segui-lo por longas distâncias; muitas vezes é
liberado feromônio no momento da picada “marcando” o objetivo a ser atacado
– proteja o corpo, especialmente a cabeça
– remova os ferrões cuidadosamente com uma lâmina evitando que as bolsas de veneno sejam
comprimidas
– o uso de compressas de água fria ajuda a aliviar os sintomas

Após o evento pode ser necessário evacuar e buscar atendimento médico. A pessoa atingidapode ter uma reação alérgica mais séria com tontura, náusea, dificuldade para respirar e até parada respiratória necessitando de atendimento médico adequado imediato ou, no caso de centenas de picadas, a toxina pode agredir o organismo e ser fatal.

As abelhas não atacam pessoas intencionalmente, a não ser que se sintam ameaçadas ou sintam que a sua presença é uma ameaça à colmeia. A melhor maneira de evitar acidentes é pela prevenção, então adote um comportamento compatível, evite áreas com muita incidência de abelhas (muitas vezes já conhecidas) e esteja preparado para evacuar rapidamente em caso de necessidade.

Bons treinos!

There are no responses so far.

Samanta Chu

Samanta Chu

Representante no Brasil e instrutora da Wilderness Medical Associates International, ministra cursos no Brasil e no exterior desde 2011. Com formação de Técnico de Emergências Médicas (EMT – EUA), é montanhista e escaladora há 17 anos e praticante de diversas atividades outdoor. Guia profissional, lidera viagens e expedições em ambientes naturais com caminhada, escalada/atividades verticais e caiaque oceânico há 10 anos.

Patrocínio

Apoio