Menu Filtro

Relato de prova e Teste com a Camelbak Chase Bike Vest

No começo do ano, trocando uma ideia com a Camelbak Brasil sobre os projetos para este e os próximos anos, levei uma questão que eu tenho em particular. Eu sempre utilizei as mochilas de hidratação da Camelbak, mas sentia a falta de um sistema que proporcionasse uma fixação junto ao corpo, mais eficiente, por conta dos momentos em trilha a descer, principalmente, onde a mochila movimentava sobre as costas.

Foi ent√£o que me apresentaram a Chase Bike Vest, que tem justamente no seu diferencial o sistema de fixa√ß√£o e os ‚Äúbolsos‚ÄĚ de f√°cil acesso, que ajudam a distribuir de maneira mais eficiente os itens pela mochila. Aceitei a indica√ß√£o e coloquei, como teste de fogo, utiliz√°-la durante o Festival Brasil Ride, que ocorreu durante o feriado de Corpus Christ, entre os dias 8, 9 e 10 de Junho, na cidade de Botucatu/SP.

O Festival Brasil Ride é uma prova por etapas (Stage Race) tão tradicional quanto a Brasil Ride na Bahia. O Festival porém, é composto por 3 etapas, enquanto que a prova da Bahia possui 7. A prova também é conhecida como Warm Up, justamente para que os participantes que almejam correr a prova maior tenham a vivência do que engloba uma Stage Race. Para esta Edição formei dupla mais uma vez com o Mateus Zandona, na categoria PRO Duplas Master.

As etapas desta edição foram projetadas assim:

Р1ª Etapa (Prólogo): 10,9km e 406m de desnível acumulado
Р2ª Etapa: 106km e 2615m de desnível acumulado
-3ª Etapa: 53,8km e 1306m de desnível acumulado

Com exce√ß√£o do Pr√≥logo, que √© uma etapa r√°pida, e que tem por objetivo classificar os participantes de acordo com o tempo percorrido, nos bols√Ķes de largada do dia seguinte as demais etapas costumam ser bem exigentes, por conta do ritmo imposto, relevo e trechos t√©cnicos. Como nosso objetivo era disputar um lugar no p√≥dio, e como eu tenho costume de me hidratar mais que minha dupla, a op√ß√£o por utilizar a mochila foi providencial. Quanto menos tempo conseguirmos poupar, n√£o parando, mais competitivos seremos.

Fizemos um Pr√≥logo bem consistente, mas pegando tr√°fego, finalizando em 4¬ļ na categoria. Na Etapa 2, que √© a Etapa Ra√≠nha, largamos muito forte, nos colocando muito bem na prova. E apesar de eu ter sentido o desgaste por este esfor√ßo, conseguimos abrir uma diferen√ßa de tempo consider√°vel entre todas as Duplas PRO, nos posicionando em 1¬ļ Geral dentre as duplas. E na etapa final, j√° bem mais flu√≠da e r√°pida, mantivemos a lideran√ßa, conseguindo abrir mais um pouco de diferen√ßa para a segunda dupla de nossa categoria, e ainda permanecendo em 1¬ļ Geral dentre todas as Duplas PRO. Foi bom demais!

A mochila encaixou muito bem. Ajustei ela bem certinho no corpo, sem restri√ß√£o de movimentos e com os itens que eu levo distribu√≠dos de forma bem l√≥gica em seus compartimentos. Larguei com ela na 2¬™ e 3¬™ etapas com o reservat√≥rio cheio (1,5l). Na Etapa Ra√≠nha cheguei com ele vazio e na √ļltima Etapa com cerca de 2/3 de √°gua sobrando. O modo como ela fica colada no corpo √© diferenciado. Tanto com o reservat√≥rio cheio, quanto quando estava vazio, em nenhum momento a mochila veio em dire√ß√£o ao capacete, nem nas descidas mais t√©cnicas e inclinadas. Os bolsos que existem na al√ßa, e que ficam posicionados ao lado esquerdo do peito, s√£o muito √ļteis para algum acesso r√°pido. Nestes deixei alguns g√©is, c√°psulas de sais e um cilindro CO2. Nas costas, levei um kit de ferramentas b√°sico e minha bomba de ar.
Separei o link do vídeo sobre a Camelbak Chase Bike Vest, que mostra melhor os detalhes desta mochila. Clique aqui para assistí-lo.

Em resumo, foi um teste muito válido de uso da Camelbak Chase Bike Vest, e de quebra, mais um pódio de peso que tenho a oportunidade de trazer pra casa.


Obrigado!

There are no responses so far.

Patrocínio

Apoio