Menu Filtro

Lições que a dança de salão me ensinou

Todo bom profissional de educação física lida com os corpos de seus alunos levando em consideração não só os aspectos biológicos e fisiológicos, como também os aspectos culturais, sociais e emocionais.

“Rodrigues (1986) afirma ser inegável a existência de um conjunto de ações orgânicas que conduzem os seres humanos a determinados tipos de comportamento. mas o autor alerta que, a cada uma dessas motivações biológicas, a cultura atribui uma significação especial, em função da qual assumirá determinadas atitudes e desprezarão outras”. (Cultura Corporal e educação Física – Elementos para uma ressignificação da prática docente – Rildevania Alves Monteiro e Adalberto dos Santos Souza (www.efdeportes.com)

Baseada nesses conceitos, resolvi compartilhar com vocês hoje um texto que escrevi há alguns anos.

Como atleta e diretora – proprietária de uma assessoria esportiva que atende homens e mulheres, muitas vezes até mais velhos do que eu, percebi, após alguns meses de aulas de dança de salão, que eu tinha dificuldade de me “deixar conduzir”.

Percebi também, que essa dificuldade, gerada pela necessidade de uma postura independente e de liderança, afeta muitas mulheres principalmente após as transformações sociais dos últimos anos, que tornaram tão difícil para elas, bem como para os homens também, a capacidade de equilibrar as energias masculinas e femininas dentro de si. E isso tem trazido muitos problemas de relacionamento entre homens e mulheres na nossa sociedade.

Percebam como uma “simples” aula de dança de salão gerou tantas reflexões na minha mente inquieta, porém sempre em busca de crescimento e amadurecimento. No entanto, pelo texto a seguir, vocês perceberão também, como corpo, mente, emoção, comportamento, nossa postura perante a sociedade, enfim, tudo em nós, está completamente interligado e se influenciando mutuamente e constantemente.

Confiram o texto e reflitam ( enquanto imaginam que estão assistindo uma apresentação de dança) :

Lições que a dança de salão me ensinou

O homem tem que ter atitude, porém deve ser gentil, alegre e leve, passando confiança e segurança para a mulher;

A mulher deve se deixar conduzir, porém sem ser submissa. Ela se sente segura para deixar fluir seu charme, sua alegria, sua sensualidade e sua leveza;

A mulher brilha e atrai todos os olhares quando vai dançando pelo salão;

O homem não se incomoda com o brilho da mulher pois ele sabe que é a postura dele que dá a ela tudo que é preciso para que ela brilhe. E todo mundo percebe isso, sabe disso!

E os dois vão fluindo. Ninguém é melhor. Ninguém é mais importante. Simplesmente são parceiros. Cada um desempenhando seu papel e encantando a todos que compartilham dessa dança.

Essa que eu considero a grande beleza da vida. O que na física quântica se chama de entrelaçamento quântico, mas que de uma maneira bem fácil de entender, é simplesmente a capacidade de deixar o ego diminuir para que o melhor de cada um possa fluir. Em sua essência, em sua beleza, externando suas mais admiráveis qualidades .


There are no responses so far.

Lilia Godoi

Lilia Godoi

Lilia Godoi é treinadora, diretora e proprietária da Lilia Godoi Assessoria Esportiva. Formada em Educação Física pela UFRJ e Pós Graduada em Treinamento Esportivo, é representante do Projeto Empresto Minhas Pernas no Rio de Janeiro e em Niterói, mestre de Reiki e atleta de várias modalidades esportivas com resultados nacionais e internacionais.

Patrocínio

Apoio