Menu Filtro

Correndo uma Stage Race durante a pandemia, no exterior. Swiss Epic 2021

Olá, meu nome é Francisco Rotta Muller, tenho 41 anos. Pratico Mountain Bike deste 2006 e competindo amadoramente desde 2012. Me identifiquei mais com as provas de resistência, no formato Maratona, e me apaixonei pelas provas de estágio, ou Stage Races, que ocorrem em uma sequência de dias, variando entre 3 a 8 etapas, normalmente.

Em Março de 2020, estava em Cape Town, na África do Sul, para competir minha segunda Cape Epic, quando na véspera do evento, ocorreu o cancelamento da prova, por conta da disseminação do COVID. Foi um grande susto para todos e o início de um grande período sem competições. Ainda em 2020, a Swiss Epic, prova por estágios do grupo Epic Series, foi a única das grandes provas deste formato que apresentou condições de ocorrer. No começo deste ano, mais adiamentos…Nosso retorno para a África ficou para março de 2022. Muitas incertezas quanto ao calendário e as condições para que as provas começassem a ocorrer. Então que, com a vacinação completa de minha parte e de meu teammate, Mateus Zandona, recebemos a informação de que ainda haviam pouquíssimas vagas para a Swiss Epic! O frio na barriga apareceu novamente! Certificados de vacinação OK, formulários de entrada na Suíça preenchidos, férias no trabalho alinhadas, passagens compradas! Deu tudo muito certo e conseguimos nos inscrever para a prova!

Apesar de manter o treinamento em dia, a falta de ritmo de prova e principalmente de provas longas, deixa aquela dúvida a mais sobre conseguir concluir a prova. Sim, será sofrida, isso sempre é, mas será que darei conta? Enfim, só saberei indo.

A prova teve início no dia 17 de agosto, em St Moritz, nos alpes suíços. Com um clima top durante todo o período da competição, conseguimos manter uma consistência muito boa nas etapas. Fizemos escaladas muito impressionantes e com desempenho bom! Passamos de 2600m de altitude e frequentemente rodamos acima dos 2000m. A natureza na Suíça é surpreendente. Nesta época, final de verão lá, amanhecia com cerca de 8°C e à tarde chegava aos 25°C. Ainda assim, no pico das montanhas havia neve e passamos por alguns glaciares também. Muito single track e vários trechos técnicos demandavam muita atenção e cuidado na pilotagem. Afinal, queríamos rodar forte, mas sem danificar o equipamento ou sofrendo alguma queda.

Finalizamos todas as etapas na 4ª colocação da categoria Masters o que foi fantástico e além das expectativas! Acredito que a nossa mentalidade, de fazer o que sabemos e não abusar, foi o que nos levou até a linha de chegada bem, todos os dias. A consistência numa Stage Race é chave para ser “finisher”.

A organização da prova e os cuidados em todos às áreas do evento, foi muito bem estruturada. As recomendações e ações aplicadas, para minimizar as chances de contaminação pelo COVID, foram muito eficazes e fluíram de forma natural entre os atletas. Foram cerca de 30 nações participantes e todo mundo muito bem orientado e ciente de seu papel, referente aos cuidados e higiene. Tudo 100%.

Fica uma sensação de satisfação plena e a esperança que num futuro próximo, diante da consciência de todos, possamos desfrutar de muitos eventos como a Swiss Epic. Depende principalmente de nós. Ah, devido ao nosso desempenho, conquistamos umas das 9 vagas que foram disponibilizadas entre todos os competidores amadores para competir na Cape Epic em 2023! Já estamos confirmados para 2022 e ficamos muito empolgados e ter mais esta chance de nos desafiarmos na prova mais importante do mundo das Stage Races.

Chico à esquerda e Mateus à direita.

 

Um grande abraço! Mantenham-se ativos!
Dá-lhe!
Chico.

There are no responses so far.

Francisco Rotta Muller

Patrocínio

Apoio