Menu Filtro

Copahue Extremo – Uma nova experiência

Fui convidado pelo Everton da Maratonas no Mundo para conhecer uma prova diferente, em que corre-se o tempo todo na neve e gelo usando raquetes próprias para a corrida em uma região distante da Patagônia argentina em uma cidade chamada Cavihue* a qual até aquele momento não tinha a mínima noção onde ficava no mapa.

Assim como não conhecia a cidade onde a prova iria acontecer, também não tinha a mínima noção de como correr seria usar a tal raquete para fazer os 20 km que me esperavam na Copahue Extremo

Aliado a isso a temperatura entre os dias 30 de agosto e 1 de setembro, variavam entre 8 graus negativos ao amanhecer, podendo ir até 5 graus positivos, isso na cidade, pois ao subir a montanha rumo ao Vulcão Copahue a temperatura caía, mesmo com o sol brilhando lindamente, pois o vento faz cair a sensação térmica.

A viagem até lá é um pouco cansativa, precisando fazer  CTBA-POA-BUENOS AIRES-NEUQUEN de avião e mais 5 horas de ônibus até Caviahue, no total de 30 horas de viagem.

Mas ela foi ficando mais alegre e descontraída ao encontrar com uma turma animada em Buenos, vinda de vários lugares como São Paulo, Chapecó, Porto Alegre e Minas. Uma turma que foi se entrosando e formou uma equipe harmoniosa e unida.

A primeira surpresa maravilhosa veio ainda o aeroporto de Buenos, onde recebi do Rafael, que é também treinador de corrida e coordena a modalidade de Snowshoeing, que é nova na CBDN (Confederação Brasileira de Esportes na Neve), a camiseta que iria vestir representando a primeira Seleção Brasileira da modalidade.

Sim, algo que jamais imaginei acontecer, poder representar o Brasil em uma modalidade olímpica dos jogos de inverno.

Ok, não é pelo meu rendimento na corrida e sim por ter traçado um caminho profissional e de escolhas pessoais que me levaram a estar no lugar certo na hora certa para ser lembrado pelo Everton da Maratonas no Mundo. O mais importante de tudo isso é que irei ajudar de alguma forma a desenvolver uma modalidade nova e que levará novos atletas a competirem alto rendimento em um breve futuro.

A prova foi espetacular, correr na neve usando as raquetes, já saindo de 1500 m de altitude e indo a 2100 m, passando ao lado do vulcão ativo Copahue, entrando em uma cidade praticamente fantasma e coberta de neve que tem o mesmo nome do vulcão, cruzar pelo Comando Antártico Argentino, estar ao lado dos melhores atletas dos USA, Canadá e Espanha, ver uma cadeirante com paralisia cerebral ser levado em uma cadeira adaptada para neve por três mulheres para fazer a prova dos 10 km e ainda compartilhar isso com um grupo de novos amigos especiais. Este é o resumo de mais esta experiência que tive a oportunidade de vivenciar.

Obrigado a todos que estiveram presentes e fizeram desta experiência algo especial.

*Caviahue é uma localidade situada ao pé do Vulcão Copahue e na beira do lago que leva o mesmo nome, Copahue, na Argentina.

Com bosques de pehuenes milenares (árvores da região), lagos com águas azul turquesa, varandas escalonadas de basalto e cachoeiras, esta a 1647 metros sobre o nível do mar, dentro do coração da Cordilheira dos Andes, além do seu tesouro paisagístico, Caviahue soma a riqueza das suas águas termais com as propriedades minerais vulcânicas. Desta maneira, o esqui e as águas termais dão moldura à esta beleza rústica.

There are no responses so far.

Fábio Alonso (Tchê)

Fábio Alonso (Tchê)

Fabio Moralles Alonso, mais conhecido por Tchê, é fundador, coordenador geral e técnico da Trainer Assessoria desde 2003. Corredor que curte aventuras que vão da ultramaratona a desafios como o Km Social, onde percorreu 1100 km em 21 dias em prol de um projeto social. Apoiado pela Camelbak, Asics e Território Montain Shop.

Patrocínio

Apoio