Menu Filtro

Como motivar-se sem uma prova alvo?

Ahhh, se eu pudesse escolher uma prova alvo pra este ano. Só uma.
Eu teria motivação, eu teria um alvo, um caminho, uma jornada para escolher.

Teria um aconchego para alma em saber que em determinado tempo, estaria disputando algo, mesmo que fosse minha própria realização.
Estaria em busca de algo que à partir dali, haveria uma linha de tempo para definir início, meio e fim de treinamento.


Há 10 meses sem competições de peso, parece que todo brilho do nosso esporte foi se perdendo pelo caminho. Parece que as cortinas se fecharam por um tempo e as luzes do palco se apagaram.
Apagaram como se houvesse chegado ao final de uma série e talvez um dia tenha uma segunda temporada. Talvez
Mas eu sei que haverá.


Eu sei que as luzes voltarão a se acender, as cortinas do palco vão se abrir, os artistas voltarão aos palcos da competição.


E é exatamente isto que me motiva. Saber que tenho de “ganhar” este tempo para melhorar onde havia alguma deficiência. Trabalhar os pontos necessários, ajustar a “máquina” chamada corpo. Alinhar os processos. Tentar fortalecer o mental, o espírito.


Imaginar que os demais competidores estão se preparando me motiva. Me faz pensar que tenho sempre de correr atrás do prejuízo. E eu sempre penso que estou no prejuízo, que estou atrás. Nunca acho que fiz ou treinei o suficiente.


Sempre olho para meus oponentes como se eles estivessem melhor preparados e um passo a minha frente. Não, ao contrário, isto não me desmotiva. Isto me faz entrar no campo de batalhas com mais sede, sabendo que tenho de me esforçar mais que eles naqueles momentos de competição.


Ahh, mas se eu pudesse e tivesse a certeza e data de uma competição…
Os pensamentos ainda me levam para longe, fazendo navegar nas muitas aventuras que já vivi. De pensar nas que ainda virão e como serão quando me deparar novamente com minhas dificuldades. Dificuldades estas não que vieram por infortúnio da vida, mas sim por escolha própria. Estas eu selecionei, pude me preparar, me envolver e quando você percebe está ali, de peito aberto, pronto para sofrer todas as dificuldades que você próprio escolheu, e isto sim é incrível.


Costumo dizer aos companheiros de lamúrias nos treinos ou competições: “Não reclame. Você veio para sofrer. Se fosse para desfrutar de conforto estaria agora em seu sofá, na sua casa.”
Há muito louvor no sofrimento de uma competição, e o fato de você escolher isto e se preparar diligentemente para este desafio, te torna nobre. Enaltece os valores humanos, cria disciplina.


Mesmo que as luzes tenham se apagado por um tempo, sempre haverão motivos de sobra para estar motivado.
O que me motiva é a competição. “Porque correr nas montanhas é nobre, mas travar uma batalha nas montanhas… É como tocar o céu.”
E você?


Encontre sua motivação, seja na família, nos amigos, pela saúde ou algo maior dentro de si.
Apenas encontre. Não pare até encontrar. 😉

There are no responses so far.

Sergio Garcia

Sergio Garcia

Sergio Garcia é Ultramaratonista, empresário e idealizador da Equilíbrio Esportes. Apaixonado por aventuras, já competiu nas principais provas no Brasil e fora dele, além de percorrer trilhas fantásticas. Nas horas vagas ele tenta "colocar suas aventuras no teclado", buscando convidar seus leitores a passear com ele e se sentirem capazes e motivados a sairem do sofá e viverem também estas aventuras.

Patrocínio

Apoio